quarta revolução industrial

A quarta revolução industrial já é realidade

Após anos de alterações e avanços nos meios de produção, a quarta revolução industrial já se faz evidente.

Ao longo dos séculos, as relações de trabalho tem se alterado e modernizado de acordo com as mudanças na sociedade. Esse período de transição é denominado de Revolução industrial.

Período este, que nota-se essa mudança social através do avanço tecnológicos dos meios de produção. Além do encurtamento de distância de deslocamento de pessoas, informações e produtos.

Entretanto, há a notabilização de um crescimento exponencial na utilização de máquinas programadas na produção. Ocorrendo, principalmente, a partir da terceira revolução industrial. Também chamada de revolução Techno-científica, não à toa.

Que coincide historicamente com os primórdios dos computadores, internet, inteligência artificial, entre outros.

Porque já estamos na quarta revolução industrial

A a primeira vez que o termo quarta revolução industrial, ou tecnicamente conhecida como industria 4.0, foi utilizado, ocorreu no ano de 2012.

A Academia alemã de Ciência e Engenharia apresentou uma cartilha de recomendações, planejamentos e diretrizes ao governo federal alemão para esta implementação. Representando, para muitos, o marco inicial da quarta revolução industrial.

Nesta cartilha destacam-se tópicos que mostram o grande impacto na adoção dessas medidas,as mais perceptíveis, tais como:

Redução de custos, otimização dos produtos, serviços, atendimentos e prazos de entrega, e a inserção das operações em tempo real, que possibilitam essa otimização.

Este último podemos notar claramente se analisarmos a mudança na bolsa de valores, por exemplo. Onde antes existia um amontoado de corretores com blocos de notas ao telefone e acompanhado de muitos gritos.

Hoje,  não vê-se mais nenhum toque de telefone, nenhuma gritaria, nenhum corretor. Apenas um painel mostrando as mudanças quase que instantâneas das ações.

E outras mais técnicas e não tão perceptíveis, de manufatura modular e integração de operações.

Como por exemplo os sistemas de computação em nuvem, Big Data Analytic, internet das coisas, inteligência artificial entre outras, para ficarmos nas mais conhecidas.

Os fatores descritos acima corroboram com as características necessárias para a utilização do termo “quarta revolução industrial”.

Apesar disso, a velocidade como essas características são inseridas no nosso cotidiano e logo nos adaptamos a elas, acabam por torna-las menos nítidas.

Provando, mesmo sem notarmos, que o processo da quarta revolução industrial já é realidade e está a pleno vapor, e podemos esperar uma relação cada vez maior entre humano e máquina.

 

 

 

 

Matheus Mello

Estudante de jornalismo, entusiasta e amante de coisas simples.

Matheus Mello

Sobre Matheus Mello

Estudante de jornalismo, entusiasta e amante de coisas simples.

Deixe um comentário